Don Quixote

Gilberto Carnasciali

O bicho vive absorto todo o tempo com as coisas da matéria, querendo acertar e nunca conseguindo. Sempre por acertar, por o certo que conhece não ser certo, certo aparentemente, e o que é aparente o que vale? Nada!

Esse o motivo dos desacertos e desequilíbrios, razão dessa vida de perenes lutas, guerras, desentendimentos e sofrimentos:

Batalhando pelo nada esse guerreiro,

sempre pelo nada sendo vencido,

verdadeiro cavaleiro quixotesco

em luta contra imaginários moinhos,

que desconhece o que lá fora existe,

por desconhecer quem ele próprio é.

Esses bichos são tão empedernidos no que pensam ser certo, que somente a dura lapidação nas batalhas de vida e morte, pode trazer-lhes o aperfeiçoamento e o amadurecimento, que os permitirá alcançar o entendimento da existência de uma fase superior à sua atual, a Fase Racional, e de uma classe superior à sua, a classe de Aparelho Racional.

Tudo isso e muito mais, por terem saído de seu verdadeiro Mundo de Origem puro, limpo e perfeito e terem descido para este de matéria a que deram causa com a descida, para sofrerem as consequências daquilo fizeram para si mesmos.

O que se planta se colhe.

Quem faz o mal é lapidado e destruído por ele, por o mal se destruir e se extinguir em si mesmo e por si mesmo. Essa é a consequência de viverem em um mundo fora do verdadeiro natural, um mundo que não é o seu, em um mundo estranho à sua origem. Só sofrimento, desgraça e morte.

Mas, assim como a descida é só padecimento e lapidação, a recuperação e subida são só alegria e celebração. Como o vivente puro, limpo e perfeito poderia viver bem em um mundo impuro, poluído, imperfeito e mortal? Jamais!

Eis o motivo da alegria e felicidade do ser humano pelo seu retorno ao Mundo de Origem, o MUNDO RACIONAL. E como se dá essa percepção de aproximação com sua Origem?

Pela recuperação do conhecimento perdido, o conhecimento de sua verdadeira história através da leitura e releitura da Obra Transcendental de Cultura Racional “Universo em Desencanto”, o estudante passa a ter inicialmente vislumbres e posteriormente claras vidências de sua vida Racional há vinte uma eternidades, quando habitava o Paraíso Racional com seus irmãos puros, limpos e perfeitos. Volta a se lembrar e a evidenciar o crime que perpetrou ao não dar ouvidos ao PAI, o RACIONAL SUPERIOR, e continuar a progredir por sua própria conta e vontade, na parte da Planície que não estava pronta para progredir.

A leitura Racional, através da Energia Racional, vai desenvolvendo e fluidificando o Raciocínio da pessoa, até ela atingir, com sua consciência positiva integral, a compreensão total do seu próprio ‘eu’, de onde veio, onde está, o que faz aqui, para onde vai, como e quando vai. Daí então, as peças perdidas do quebra-cabeça vão se encaixando no vazio dos espaços criados pela ausência do Habitante no MUNDO RACIONAL, que se encontra agora materializado aqui embaixo, na cabeça do vivente, dentro de sua glândula Pineal. É nesse estágio que se dá o início do processo de desmaterialização desse Habitante e posterior retorno ao MUNDO RACIONAL; encontrando o sentido da vida, encontrando sua originalidade, encontrando a originalidade da própria vida, encontrando o Mundo de sua Origem.

Eis o motivo da alegria, da euforia, das manifestações de felicidade ribombando pelas eternidades afora: “agora sei quem eu sou, agora sei definir meu próprio ‘eu’, agora sei de onde vim, onde estou e para onde estou retornando!”

Essas são vidas que estão sendo salvas pela Divina Providência, que disponibilizou o LIVRO para a humanidade se desencantar e desencantar o Universo; Universo em Desencanto. Vidas essas sendo salvas, na realidade, por elas próprias, que acordaram de um longo sono pétreo e ressuscitaram para uma nova vida, a vida da Razão Eterna. A Luz Racional que ilumina as páginas do LIVRO resplandece, afastando a escuridão que envolvia o até então ser atrasado, rude e brutal, porém nunca esquecido e sempre amado por DEUS, o RACIONAL SUPERIOR, para reconduzir o amado filho ao SEU convívio na PLANÍCIE RACIONAL.

 

MALASARTES E A DOAÇÃO DE LIVROS RACIONAIS

 

O vivente/divulgador poderá ser surpreendido algum dia por um irmão estudante de Cultura Racional, com o oferecimento dos livros “Universo em Desencanto”, de sua propriedade, pelo fato de haver desistido de continuar os estudos Racionais.

Antes de aceitar, o vivente/divulgador deverá em primeiro lugar, com a maior delicadeza e calma, para a boa compreensão do próximo, fazer uma resumida exposição do que versa a Obra, como se estivesse fazendo a propaganda para um interessado de primeira viagem.

Em seguida, sempre com suavidade, lembrar que ao se desligar da leitura e estudo da Literatura Racional, estará incorrendo em grave falta, por haver já tomado conhecimento dos Ensinamentos Racionais e os assimilado através da leitura, estando, portanto ciente de seus atos.

Significando dizer que, ao não dar ouvidos aos avisos, estará usando indevidamente sua livre e espontânea vontade e sua livre escolha, como já o fizera há 21 eternidades, quando ele e mais uns tantos não deram ouvidos ao PAI, o RACIONAL SUPERIOR, e continuaram a progredir por conta própria em uma parte da Planície que não estava pronta para progredir.

Significa que na Fase do Raciocínio, esse vivente ainda vive no passado como livre-pensador, e como a fase do pensamento deixou de existir em 1935, está desde então, mesmo como estudante de Cultura Racional, entregue inconscientemente à energia magnética, com o sério agravante de se tratar de um estudante de Cultura Racional. Caso acorde, Raciocine e se dê conta do erro que está cometendo voltando atrás em sua decisão, palmas para o irmão/estudante e para o vivente/divulgador, este último tendo esse mérito levado a seu crédito pelo Tribunal Racional.

Entretanto, se o irmão/estudante persistir no erro, então significa que foi vencido pelas traquinagens do maligno Malasartes, pelo eletromagnetismo do mundo dos engambelos e artifícios ilusórios, e será conduzido pelo cruel magnético para a irracionalidade das classes inferiores.

Só então, o vivente/divulgador deverá, consciente de sua decisão, aceitar a doação e fazer bom uso dos Livros Transcendentais “Universo em Desencanto” que lhe foram oferecidos.

Ame o próximo como amas a ti mesmo. Faça o bem sem olhar a quem.

Salve!